Wikipédia:Política de administradores

Administradores
Wikipedia Administrator.svg

Os administradores são usuários com "direitos de operador de sistema (sysop)", o que lhes confere acesso a diversas ferramentas administrativas e à gestão de alguns privilégios de usuário.

Anteriormente, na Wikipédia, era permitida a atribuição deste acesso liberalmente a qualquer usuário que tivesse sido um colaborador durante algum tempo, geralmente encarado como um membro da comunidade conhecido e digno de confiança, e que possuísse pelo menos 2 000 edições no domínio principal e uma conta criada há seis meses. Hoje, além destes requisitos, o usuário deve passar por um processo de sufrágio, de modo a garantir a escolha de editores capacitados à função e o normal funcionamento da Wikipédia lusófona.

Esse processo de sufrágio compreende a avaliação do interessado pela comunidade em um pedido para a obtenção do estatuto. Atualmente, tanto o processo de análise para concessão (ou remoção) do estatuto, quanto a atuação dos detentores das ferramentas administrativas, são tratados pela política de administradores.

Atuação

Um administrador é um usuário com a possibilidade de executar tarefas necessárias ao bom funcionamento da Wikipédia, por meio de ferramentas de acesso restrito, as quais, se mal empregadas, podem ser altamente prejudiciais. Portanto, seu acesso é interdito a qualquer usuário. Todas as operações efetuadas pelos administradores são registadas e podem, em todos os casos, ser revertidas.

Não é obrigatório que um administrador participe assiduamente na Wikipédia (embora a própria atribuição das ferramentas, em geral, exija uma contribuição contínua ao longo do tempo); o importante é que os administradores ativos estejam sempre em número suficiente para poder corresponder à imposição que a grandeza do projeto exige.

Importa referir que qualquer administrador deve transmitir o melhor exemplo. Na maioria das vezes, os usuários tendem a pensar que se um administrador diz ou age de determinada forma, então esse comportamento pode e deve ser encarado como o correto e, por isso, os administradores comportam grande influência relacionada ao modo como as pessoas e usuários veem a Wikipédia, pelo que estes devem fazer bom uso desta influência. Não se espera que os administradores atuem na perfeição em todos os casos. No entanto, estes devem ter o cuidado de apresentar os modos adequados de cortesia e civilidade para com outros editores e para com eles mesmos.

Assim como os burocratas, os administradores devem zelar pelo bom uso das ferramentas que lhes foram confiadas. Do contrário, abusos reiterados podem ter como consequência a perda do estatuto.

O que são os administradores

Ver artigo principal: Administradores

Os administradores são voluntários encarregados de realizar operações técnicas possibilitadas por recursos de software. O uso do termo "administrador" na Wikipédia, portanto, não deve ser entendido, nem mesmo por analogia, de acordo com o significado que pode ser atribuído noutras áreas, como, por exemplo, no âmbito jurídico. O acesso restrito que lhes é conferido por estas ferramentas tem por justificativa a proteção do site.

É importante ressaltar que a permissão de administrador não é prescrita a título meritório nem confere um lugar de destaque ou incumbência ao usuário, mas antes envolve a execução de tarefas alusivas à comunidade e ao projeto. Logo, isto não implica qualquer obrigação legal de terceiros, nem responsabilidades comuns na gestão do site e/ou do conteúdo desta enciclopédia — que continua a ser da exclusiva responsabilidade dos autores individuais e, eventualmente, do representante legal.

Os administradores também não devem ser confundidos com os "operadores de sistemas" da Fundação Wikimedia (vide: m:System administrators) nem com o representante designado do site (vide: wmf:Designated agent), uma vez que apenas indicam editores da Wikipédia a quem foram levantadas restrições de segurança e desempenho a umas quantas funções do software porque pareceram ser dignos de confiança.

Deste modo, a atuação e o poder discricionário dos administradores devem restringir-se às permissões que lhe são inerentes em nível de software. Com acesso à ferramenta de bloqueio, os administradores, por exemplo, estão autorizados a avaliar e emitir pareceres técnicos em discussões sobre o tema, em observância à política de bloqueio. Da mesma forma, por possuírem a capacidade de eliminar e restaurar páginas, podem aferir o consenso e encerrar discussões de eliminação, com atenção às políticas respectivas. Por outro lado, não concentram poder decisório superior ao de outros usuários no que concerne a decisões da comunidade e responsabilidade editorial.

Permissões gerais

Em consequência das permissões que lhe são conferidas a nível de software e pelas políticas vigentes, os administradores podem:

  1. Bloquear e/ou desbloquear usuários, conforme as diretrizes expostas na política de bloqueio;
  2. Analisar discussões de bloqueio, e emitir parecer técnico a respeito, na qualidade de administradores;
  3. Proteger e/ou desproteger páginas, conforme as regras vigentes;
  4. Eliminar e/ou restaurar páginas, conforme as diretrizes presentes na política de eliminação;
  5. Aferir o consenso e encerrar discussões de eliminação[1];
  6. Atuar em outras situações que envolvam eliminação e/ou restauro de páginas e visualização de conteúdo eliminado;
  7. Atender pedidos relacionados à manipulação de históricos, restauro de páginas e remoção imediata de violação de direitos autorais.
  8. Gerenciar os filtros de edições;
  9. Gerenciar o domínio MediaWiki;
  10. Suprimir informações de páginas, sumários de edições ou entradas de registros;
  11. Analisar, aprovar/reprovar e arquivar os pedidos para obtenção ou remoção do estatuto de usuário autoconfirmado, obtenção ou remoção do estatuto de autorrevisor, e obtenção ou remoção do estatuto de reversor, bem como atribuí-los ou removê-los à sua avaliação direta;
  12. Atribuir e remover outras permissões, como isento de bloqueio de IP, coordenador de curso etc, conforme necessidade;
  13. Atender a solicitações no canal de desbloqueio: [email protected];
  14. Executar outras tarefas que lhe são possíveis pelo conjunto de ferramentas administrativas.

Proatividade

O administrador deve primar pela proatividade, lançando mão do recurso ao café dos administradores ou outros fóruns apenas quando for imprescindível a participação dos demais ou, então, não usufruir de segurança para atuar sozinho em determinada situação.

Conflito de interesses

Os usuários não devem usar o estatuto em situações em que estejam diretamente envolvidos. Em casos de conflito sobre os quais tomaram parte, existe uma forte probabilidade de que os administradores possuam conflito de interesse nas disputas em que intercederam ou é muito provável que possuam uma opinião sensível sobre a questão. O julgamento de um usuário a respeito de um interesse primário tende a ser influenciado indevidamente por um interesse secundário. O envolvimento, em geral, possui uma interpretação variada da comunidade, pelo que conflitos atuais ou editores que apresentam um histórico significativo de conflitos com outro(s), em disputas sobre vários temas, independentemente da sua natureza, época ou resultado de determinado litígio, não devem passar despercebidos.

Administradores que têm interagido com um editor ou que estão relacionados com determinado tópico, exercendo pura e simplesmente o papel de administrador, ou cujo envolvimento anterior se resume a edições menores e que se conste evidente que não existe qualquer viés, distorção na forma de análise de determinado tópico ou modo de julgar ou de agir, considera-se para isso que não se encontre envolvido e que o seu intrometimento não terá afetado a sua capacidade na apreciação em relação a determinado editor ou a diferentes conjunturas.

Deve-se ter em conta que uma das funções dos administradores é precisamente lidar com tais questões, que, muitas vezes, requerem uma discussão extensiva e detalhada. Advertências, análises sobre o que é dito e compartilhado, a reflexão à discussão e à indicação dos vários pontos de vista, desde que este procedimento seja ocasional, razoável e não interfira com as suas responsabilidades de trabalho (como conselhos sobre as normas da comunidade e sugestões sobre possíveis formulações e abordagens dos demais temas), não tornam necessariamente crível que um administrador se encontre envolvido.

Nos casos mais simples, como, por exemplo, diante de vandalismo óbvio, a comunidade deve conformar-se com a ação indiscutível de qualquer administrador — mesmo que envolvido — partindo do princípio de que qualquer administrador teria, de forma razoável, chegado à mesma conclusão. Embora existam exceções quanto à proibição de editores envolvidos desempenharem ações administrativas, ainda assim recomenda-se a comunicação dos casos a outro administrador via centrais, pois existe sempre a possibilidade de que um administrador seja considerado envolvido.

Mau uso das ferramentas administrativas

Se um usuário acredita que um administrador agiu de forma inadequada, deve expor a questão diretamente ao administrador responsável e tentar resolver o problema de forma ordeira e civilizada. Se, mesmo assim, o assunto não for resolvido entre as partes, os usuários podem tomar medidas adicionais (ver: processo de resolução de disputas; pedidos de revisão de ações administrativas).

O mau uso das ferramentas administrativas é considerado um problema sério. As ferramentas administrativas são concedidas aos usuários confiáveis e devem ser utilizadas de forma prudente e responsável. O uso indevido dessas ferramentas pode resultar em sanções severas ou até mesmo na remoção das mesmas.

Com isto, é necessário prevenir os usuários de situações nas quais se deve evitar o uso das ferramentas administrativas:

  • Conflito de interesses ou pontos de vista parciais – Os administradores não devem fazer uso das ferramentas nos casos em que se encontram envolvidos. Como exemplo de uso do estatuto em situações em que possa haver envolvimento, refira-se: ser insultado e bloquear um usuário; bloquear um usuário e emitir a sua posição como administrador durante a discussão de bloqueio; encerrar uma PE e atender (como negado) um pedido de revisão; enviar para eliminação ou eliminar um artigo e atender (negar) um pedido de restauro; estar envolvido numa GE e proteger a página; estar envolvido numa GE e usar a ferramenta de reversão, entre outros.
  • Recomendações ou políticas — Quando uma política ou recomendação estabelece que as ferramentas não devem ser empregues, então as ferramentas não devem ser utilizadas sem que seja explicado de que forma o assunto foi levado em consideração e, por que, dada (rara) exceção, tal decisão foi considerada razoável por parte do administrador.
  • Reverter as ações de outros administradores — As reversões de ações administrativas devem ser realizadas de forma responsável respeitando o administrador envolvido, preferivelmente questionando o mesmo sobre o assunto, e após informar-se com eventuais responsáveis de determinada decisão.
  • Reposição de uma ação administrativa já antes revertida – Uma solução deve ser alcançada sem que uma nova reversão seja realizada, apurando o consenso entre as partes, e evitando novos conflitos com ininterruptas reversões.

Na maioria dos casos, mesmo em situações cuja aplicação das ferramentas aparenta ser razoável, recomenda-se que o administrador recorra à ajuda de outro para avaliar o caso e, se é que se justifique, aplicar então as providências necessárias a cada situação.

Reverter a ação de outro administrador

Os administradores devem agir com bom senso, presumindo-se que as suas ações ou decisões sejam cuidadosamente analisadas. Os administradores podem discordar; porém, as ações administrativas não devem ser revertidas sem justa causa, o que requer uma solícita reflexão, e exige uma análise cuidada e realista sobre o caso. Se determinada ação for propensa à recusa de outro administrador, o assunto deve ser discutido e a ação administrativa aplicada apenas quando for obtido acordo entre os responsáveis.

As disputas que envolvem administradores devem ser resolvidas de acordo com os métodos estabelecidos em resolução de disputas. Se o conflito puser em causa a capacidade de um usuário em exercer as ferramentas administrativas (como em casos onde é visível a má utilização das ferramentas ou conduta abusiva, verificando-se um persistente comportamento desestabilizador e utilização irresponsável das ferramentas), o usuário pode perder o estatuto.

Guerra administrativa

Quando um administrador reverte a ação de outro, muito raramente se justifica reverter novamente para a versão anterior ou que outro administrador reponha a mesma edição sem que antes se alcance uma decisão consensual entre as partes envolvidas. Uma guerra administrativa (wheel war) consiste na reversão da ação de um administrador por parte de outro administrador, sem que haja consenso, e que, através de reversões, se pretenda combater as edições do outro, desfazendo e refazendo a ação. Para além de raras as exceções, uma vez que uma ação administrativa é revertida, esta não deve ser restaurada sem que seja obtido consenso.

Guerras de edições entre administradores podem resultar em bloqueios temporários ou na perda dos estatutos dos envolvidos, mesmo em se tratando de casos isolados.

Possíveis indícios de guerra administrativa:

  • Ignorar deliberadamente uma discussão existente em favor de uma ação unilateral.
  • Desfazer abruptamente as ações de outro administrador sem antes consultá-lo.
  • Reverter ações oficiais feitas em nome da Wikimedia Foundation.