Venezuela

República Bolivariana da Venezuela
República Bolivariana de Venezuela
Bandeira da Venezuela
Brasão de armas da Venezuela
BandeiraBrasão das Armas
Lema: Dios y Federación ("Deus e Federação")
Hino nacional: Gloria al bravo pueblo
("Glória ao bravo povo")
Gentílico: venezuelano

Localização de Venezuela

Localização da Venezuela em verde escuro; área reivindicada pelos venezuelanos no território da Guiana em verde claro.
CapitalCaracas
Cidade mais populosaCaracas
Língua oficialEspanhol
GovernoRepública presidencialista
 - Presidentedisputado[nota 1]
 - Vice-presidenteDelcy Rodríguez (de facto)
 - Presidente da Assembleia NacionalJuan Guaidó [nota 1]
Independênciada Espanha 
 - Iniciada19 de abril de 1810 
 - Declarada5 de julho de 1811 
 - Reconhecida30 de março de 1845 
Área 
 - Total916 445 km² (33.º)
 - Água (%)0,3
 FronteiraBrasil a sul, Colômbia a oeste, Guiana a leste.
População 
 - Estimativa para 201631 703 499[5] hab. (44.º)
 - Densidade33 hab./km² 
PIB (base PPC)Estimativa de 2018
 - TotalUS$ 320 bilhões*[6] 
 - Per capitaUS$ 10 968[7] 
PIB (nominal)Estimativa de 2018
 - TotalUS$ $96 bilhões*[6] 
 - Per capitaUS$ 3 300[6] 
IDH (2017)0,761 (78.º) – alto[8]
Gini (2013)Baixa 44,8[9]
MoedaBolívar soberano[nota 2][10] (VEF)
Fuso horário(UTC−4 [11])
ClimaTropical, semiárido, equatorial
Cód. Internet.ve
Cód. telef.+58
Website governamentalwww.gobiernoenlinea.ve

Mapa de Venezuela

Venezuela (AFI: [be.neˈswe.la]), oficialmente República Bolivariana da Venezuela (em espanhol: República Bolivariana de Venezuela), é um país da América localizado na parte norte da América do Sul, constituída por uma parte continental e um grande número de pequenas ilhas no Mar do Caribe, cuja capital e maior aglomeração urbana é a cidade de Caracas. Possui uma área de 916 445 km², sendo o 32º maior país no mundo em território. Suas fronteiras são delimitadas a norte com o Mar do Caribe, a oeste com a Colômbia, ao sul com o Brasil e ao leste com a Guiana, com quem mantém disputas territoriais. Através das suas zonas marítimas, tem soberania sobre 71.295 km² de mar territorial, 22.224 km² na zona contígua, 471.507 km² do Mar do Caribe e o Oceano Atlântico sob o conceito de zona económica exclusiva, e 99.889 km² de plataforma continental. Esta área marinha faz fronteira com treze estados soberanos, sendo Trinidad e Tobago, Granada, São Vicente e Granadinas, Santa Lúcia e Barbados alguns deles. Sua população é estimada em 31 703 499 habitantes[5] e a capital nacional é Caracas.

O país é amplamente conhecido por suas vastas reservas de petróleo, pela diversidade ambiental do seu território e por seus diversos recursos naturais. É considerada uma nação megadiversa,[12] com uma fauna diversificada e uma grande variedade de habitats protegidos. As cores da bandeira venezuelana são o amarelo, azul e vermelho, nessa ordem: o amarelo representa a riqueza da terra, o azul o mar e o céu do país, e o vermelho o sangue derramado pelos heróis da independência.[13]

O território venezuelano foi colonizado pelo Império Espanhol em 1522, apesar da resistência dos povos nativos. Em 1811, tornou-se uma das primeiras colônias hispano-americana a declarar a independência, mas que apenas foi consolidada em 1830, quando a Venezuela deixou de ser um departamento da Grã-Colômbia. Durante o século XIX, o país sofreu com instabilidade política e autocracia, dominado por caudilhos regionais até meados do século XX. Desde 1958, houve uma série de governos democráticos.

No entanto, choques econômicos nas décadas de 1980 e 1990 culminaram em várias crises políticas, como os motins mortais durante o Caracazo de 1989, duas tentativas de golpe em 1992, além do impeachment do presidente Carlos Andrés Pérez por desvio de fundos públicos em 1993. O colapso da confiança permitiu que Hugo Chávez ganhasse força. Ele criou o conceito de "Revolução Bolivariana" ao aprovar uma nova constituição em 1999. Após a morte de Chávez em 2013, Nicolás Maduro assume o poder após ganhar as eleições presidenciais no mesmo ano. Em maio de 2018, Maduro foi reeleito em uma eleição controversa, não reconhecida pela oposição e por grande parte da comunidade internacional.[14][15] Atualmente, o país enfrenta uma grave crise socioeconômica e política, com hiperinflação, escassez de produtos básicos, alta criminalidade e censura da imprensa.[16][17]

Etimologia

Alonso de Ojeda, Américo Vespúcio e Juan de la Cosa foram os primeiros a explorar a costa da Venezuela em 1499. No dia 24 de Agosto desse ano chegaram ao que é hoje o lago de Maracaibo, onde encontraram nativos cujas casas estavam construídas sobre estacas de madeira fixas no lago (palafitas). Vespúcio, que era italiano, achou aquelas construções semelhantes às da cidade de Veneza e por isso chamou a região de Venezuela, ou seja, "Pequena Veneza".

Por outro lado, Martín Fernández de Enciso, um geógrafo que acompanhava a expedição, afirma na sua obra Summa de Geografia (1519) que junto ao lago existia uma grande rocha plana, em cima da qual havia um povoado indígena conhecido como Veneciuela. Assim, o nome Venezuela pode ser nativo, e não estrangeiro. No entanto, a primeira versão permanece como a mais divulgada e aceita.