Vaticano

Stato della Città del Vaticano (italiano)
Status Civitatis Vaticanæ (latim)

Estado da Cidade do Vaticano
Bandeira do Vaticano
Brasão de Armas do Vaticano
BandeiraBrasão de armas
Hino nacional: Inno e Marcia Pontificale
("Hino e Marcha Pontifical")
Gentílico: vaticano(a)[1]

Localização do Estado da Cidade do Vaticano

Localização do Vaticano (em vermelho escuro) no continente europeu (branco)
CapitalCidade do Vaticano[2]
41º 54'N 12° 27′E
Língua oficialItaliano[3]
Latim[4]
GovernoMonarquia absoluta eletiva teocrática[5]
 - PapaFrancisco
 - Secretário de EstadoPietro Parolin
Independênciado Reino da Itália 
 - Tratado de Latrão11 de fevereiro de 1929 (89 anos) 
Área 
 - Total0,44 km² (233.º)
 - Água (%)0
 FronteiraItália
População 
 - Estimativa para 2017~ 1 000[6] hab. (194.º)
 - Densidade1891 hab./km² (6.º)
MoedaEuro[nota 1] (EUR)
Fuso horárioCET (UTC+1)
 - Verão (DST)CEST (UTC+2)
ClimaMediterrâneo
Org. internacionaisUnião Latina[nota 2]
ONU[nota 3]
Cód. ISOVAT
Cód. Internet.va
Cód. telef.+379
Website governamentalwww.vatican.va
www.vaticanstate.va

Mapa do Estado da Cidade do Vaticano

Vaticano ou Cidade do Vaticano, oficialmente Estado da Cidade do Vaticano (em italiano: Stato della Città del Vaticano tʃitˈta del vatiˈkaːno; em latim: Civitas Vaticana),[7] é a sede[8] da Igreja Católica e uma cidade-Estado soberana sem costa marítima, cujo território consiste de um enclave murado dentro da cidade de Roma, capital da Itália. Com aproximadamente 44 hectares (0,44 km²) e com uma população estimada de 1000 habitantes, é a menor entidade territorial do mundo administrada por um Estado.[9][10]

A Cidade do Vaticano é uma cidade-Estado que existe desde 1929. É distinta da Santa Sé, que remonta ao cristianismo primitivo sendo a principal sé episcopal de 1,5 bilhão de católicos romanos (latinos e orientais) de todo o mundo. Ordenanças da Cidade do Vaticano são publicadas em italiano; documentos oficiais da Santa Sé são emitidos principalmente em latim. As duas entidades ainda têm passaportes distintos: a Santa Sé, como não é um país, apenas trata de questões de passaportes diplomáticos e de serviço; o Estado da Cidade do Vaticano cuida dos passaportes comuns. Em ambos os casos, os passaportes emitidos são muito poucos.

O Tratado de Latrão, de 1929, que criou a cidade-Estado do Vaticano, a descreve como uma nova criação (preâmbulo e no artigo III) e não como um vestígio dos muito maiores Estados Pontifícios (756–1870), que anteriormente abrangiam a região central da Itália. A maior parte deste território foi absorvido pelo Reino de Itália em 1860 e a porção final, ou seja, a cidade de Roma, com uma pequena área perto dele, dez anos depois, em 1870. Os papas residem na área, que em 1929 tornou-se a Cidade do Vaticano, desde o retorno de Avinhão em 1377. Anteriormente, residiam no Palácio de Latrão na colina Célio no lado oposto de Roma, local que Constantino deu ao Papa Milcíades em 313. A assinatura dos acordos que estabeleceram o novo Estado teve lugar neste último edifício, dando origem ao nome Tratado de Latrão, pelo qual é conhecido.

A Cidade do Vaticano é um Estado eclesiástico[9] ou teocrático-monárquico,[5] governado pelo bispo de Roma, o Papa. A maior parte dos funcionários públicos são todos os clérigos católicos de diferentes origens raciais, étnicas e nacionais. É o território soberano da Santa Sé (Sancta Sedes) e o local de residência do Papa, referido como o Palácio Apostólico.

Etimologia

Vaticano é uma colina situada na região noroeste de Roma e não possui ligação com as sete colinas de Roma. Era o local dos oráculos muito antes da Roma pré-cristã. Vaticanus, também conhecido como Vagitanus, era um deus etrusco,[11] que "abria a boca do recém nascido para que ele pudesse dar o primeiro grito, o primeiro choro",[12] e seu templo foi construído no antigo local de Vaticanum.[11] Lá se ergueu também o Circo de Nero. Acredita-se que tenha sido também o local em que São Pedro foi martirizado e sepultado.[11][12]