Teoria do desenvolvimento organizacional

Segundo French e Bell, o Desenvolvimento Organizacional pode ser definido como um "esforço de longo prazo, apoiado pela alta direção, no sentido de melhorar os processos de resolução de problemas de renovação organizacional, particularmente por meio de um eficaz e colaborativo diagnóstico e administração da cultura organizacional - com ênfase especial nas equipes formais de trabalho, equipes temporárias e cultura intergrupal - com a assistência de um consultor-facilitador e a utilização da teoria e da tecnologia das ciências comportamentais, incluindo ação e pesquisa"

Tem como Características:

  • Focaliza a organização como um todo;
  • Processos grupais;
  • Orientação sistêmica e abrangente;
  • Orientação contingencial;
  • Agentes de mudança;
  • Retroação dos dados;
  • Ênfase na solução de problemas;
  • Aprendizagem através de experiências;
  • Desenvolvimentos de equipes;
  • Enfoque interativo;
  • Dinamismo na interação;
  • Qualificação interpessoal;
  • Organização das tarefas;
  • Facilitação da comunicação;
  • Efetivação da proatividade como um todo.

Origens da Teoria do Desenvolvimento Organizacional (DO)

[1]A abordagem do desenvolvimento organizacional ou DO surgiu a partir de 1962 em função das finanças no mundo das organizações e da adequação das estruturas convencionais a essas novas circunstâncias. O DO não teve apenas um autor, mas quem á iniciou foi Leland Bradford e pode ser considerado um desdobramento da Teoria comportamental em sentido a abordagem sistêmica.

Fatores atribuídos a origem do DO:

  • A dificuldade de operacionalizar os conceitos das diversas teorias administrativas;
  • Os estudos sobre a motivação humana;
  • Criação do Laboratório Nacional de Formação ( National Training Laboratories - NTL) de Bethel em 1947;
  • A publicação em 1964 de um livro, por um grupo de psicólogos do Laboratório Nacional de Formação ( National Training Laboratories - NTL);
  • A pluralidade de mudanças no mundo;
  • A fusão do estudo da estrutura e o estudo do comportamento humano nas organizações, integrados por meio da abordagem sistêmica;
  • Os estudos sobre conflitos interpessoais;
  • Os modelos de DO se baseiam em quatro variáveis básicas: ambiente, organização, grupo e indivíduo.