Serafim Fernandes de Araújo

Gnome globe current event.svg
Este artigo ou seção é sobre alguém que morreu recentemente. A informação apresentada pode mudar com frequência. Não adicione especulações, nem texto sem referência a fontes confiáveis. (data da marcação: 16 de outubro de 2019; editado pela última vez em 12 de outubro de 2019)Twemoji 1f464.svg
Serafim Fernandes de Araújo
Cardeal da Santa Igreja Romana
Arcebispo-emérito de Belo Horizonte
Atividade Eclesiástica
DioceseArquidiocese de Belo Horizonte
Nomeação5 de fevereiro de 1986
PredecessorJoão Resende Costa, SDB
SucessorWalmor Oliveira de Azevedo
Mandato1986 - 2004
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral12 de março de 1949
Arquibasílica de São João de Latrão, Roma
por Dom Luigi Cardeal Traglia
Nomeação episcopal19 de janeiro de 1959
Ordenação episcopal7 de maio de 1959
Diamantina
por José Newton de Almeida Baptista
Nomeado arcebispo22 de novembro de 1982
Cardinalato
Criação21 de fevereiro de 1998
por Papa João Paulo II
OrdemCardeal-presbítero
TítuloSão Luís Maria Grignion de Montfort
Brasão
Coat of arms of Serafim Fernandes de Araujo.svg
LemaSERAPHIM IVXTA EVM
Junto a Ele, como os serafins
Dados pessoais
NascimentoMinas Novas, Minas Gerais
13 de agosto de 1924
MorteBelo Horizonte, Minas Gerais
8 de outubro de 2019 (95 anos)
Nacionalidadebrasileiro
Funções exercidas-Bispo-auxiliar de Belo Horizonte (1959-1982)
-Arcebispo-coadjutor de Belo Horizonte (1982-1986)
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Serafim Fernandes de Araújo (Minas Novas, 13 de agosto de 1924Belo Horizonte, 8 de outubro de 2019[1]) foi um cardeal brasileiro e arcebispo emérito de Belo Horizonte.

Fez seus estudos no Seminário de Diamantina, onde se formou em Humanidades em 1942 e em Filosofia em 1944 (licenciatura em filosofia) Foi escolhido para ir estudar em Roma, onde fez mestrado em Teologia e Direito Canônico na Pontifícia Universidade Gregoriana.

Sacerdócio

Foi ordenado sacerdote em 12 de março de 1949, na Catedral de São João Latrão em Roma. Continuou seus estudos em Roma, de 1949 a 1951. Retornou ao Brasil e celebrou sua primeira missa em 17 de setembro de 1951, em Itamarandiba. Depois foi ser pároco de Gouveia, onde ficou de 1951 a 1957. Nesse mesmo período atuou como capelão da Companhia Industrial de São Roberto. De 1956 a 1957 assumiu o posto de capelão militar do 3º Batalhão Militar da Polícia Militar de Minas Gerais, onde também foi diretor de Ensino Religioso da Arquidiocese de Diamantina e professor de Direito Canônico no Seminário Provincial.

Em Curvelo, onde foi pároco em 1957 e cônego de 1958 a 1959, também atuou como professor em várias escolas. Desde 1951 até 1959, foi capelão do Terceiro Batalhão da Polícia, Diamantina, de 1956 a 1959; professor e membro da Escola de Mestres em Diamantina e em vários colégios em Gouvéia.

Foi eleito bispo titular de Vewrinopoli e nomeado auxiliar de Belo Horizonte, aos 19 de janeiro de 1959. Ordenado bispo em 7 de maio de 1959, em Diamantina, com apenas 34 anos, (foi o mais novo bispo do Brasil), por Dom José Newton de Almeida Baptista, arcebispo de Diamantina. Transferiu-se para Belo Horizonte para ser auxiliar de Dom João Resende Costa. Assumiu também os cargos de vigário geral, administrador e diretor de Ensino Religioso da Arquidiocese, além de tornar-se professor de Cultura Religiosa da PUC Minas.