Rio Tietê
English: Tietê River

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Tietê, veja Tietê (desambiguação).
Rio Tietê
Rio Tietê Barra Bonita 150606 REFON.jpg

Rio Tietê na altura de Barra Bonita e Igaraçu do Tietê

Bacia tiete parana.png

Bacia hidrográfica dos rios Tietê e Paraná.

Localização
País
Coordenadas
Dimensões
Comprimento
1 136 km
Posição: 134º
Hidrografia
Tipo
Bacia hidrográfica
Área da bacia
150 000 km2Visualizar e editar dados no Wikidata
País(es) da
bacia hidrográfica
Tietê-Paraná
Nascente
Altitude da nascente
1 120 m
Afluente
principal
Caudal médio
2 500 m3/sVisualizar e editar dados no Wikidata
Foz

O rio Tietê é um curso de água brasileiro conhecido nacionalmente por atravessar, ao longo de seus 1 100 quilômetros de extensão,[1] praticamente todo estado de São Paulo, de leste a oeste,[2] além de marcar a geografia urbana da maior cidade do país, a capital paulista. O Tietê nasce no município de Salesópolis, a 22 km do oceano Atlântico, e corre para o interior de São Paulo, sendo assim, foi muito utilizado pelos índios e bandeirantes para acessar as vilas que se encontravam ao longo do rio.[3]

Ao contrário da maioria dos rios brasileiros, o Tietê se volta para o interior e não para o oceano, caracterizando, dessa forma, um rio com drenagem endorreica,[4] característica que o tornou um importante instrumento na colonização do Brasil,[5][6] A sua nascente fica a 1 120 metros de altitude, na Serra do Mar, mas apesar de estar a apenas 22 quilômetros do litoral, as escarpas da serra obrigam-no a fluir em sentido inverso, atravessando o estado de sudeste a noroeste até desaguar no lago formado pela barragem de Jupiá, no rio Paraná, na divisa com o estado do Mato Grosso do Sul,[1] entre os municípios de Itapura e Castilho, cerca de 50 km a jusante da cidade de Pereira Barreto.

Ainda no período colonial, o rio, por conta de seu solo rico e fértil, atraiu muitos aventureiros e pessoas afeitas às lavouras. Dessa forma, o rio passou a abrigar as primeiras habitações em suas margens, formando assim, o vilarejo de Pirapora do Curuçá, em que seu nome homenageia uma pedra que possuía uma cruz entalhada e se localizava no lado esquerdo do rio, onde os índios a nomearam de Curuçú-Guaçu (palavra que em tupi significa Cruz).[6]

Etimologia

O nome "Tietê" foi registrado pela primeira vez no ano de 1748 no mapa Danvile.[7] O hidrônimo é de origem tupi e significa "água verdadeira", com a junção dos termos ti ("água") e etê ("verdadeiro, grande, fundo, que corre para baixo").[8][9][6]