República Checa

Česká republika
República Checa / República Tcheca
Bandeira da República Checa
Brasão de Armas
BandeiraBrasão de armas
Lema: Pravda vítězí
("A verdade prevalece")
Hino nacional: Kde domov můj
("Onde Está Minha Casa?")
Gentílico: checo

Localização da Chéquia / Tchéquia

Localização da República Tcheca (em vermelho)
No continente europeu (em cinza)
Na União Europeia (em branco)
CapitalPraga
Cidade mais populosaPraga
Língua oficialCheco
GovernoRepública parlamentarista
 - PresidenteMiloš Zeman
 - Primeiro-ministroAndrej Babiš
Formação 
 - Indepedência da Áustria-Hungria28 de Outubro de 1918 
 - Desunificação da Tchecoslováquia1 de Janeiro de 1993 
Entrada na UE1 de Maio de 2004
Área 
 - Total78.866 km² (117.º)
 - Água (%)2
População 
 - Estimativa para 200710.381.130 hab. (78.º)
 - Censo 200110.230.060 hab. 
 - Densidade130 hab./km² (77.º)
PIB (base PPC)Estimativa de 2014
 - TotalUS$ 299,679 bilhões*[1] 
 - Per capitaUS$ 28 446[1] 
PIB (nominal)Estimativa de 2014
 - TotalUS$ 200,008 bilhões*[1] 
 - Per capitaUS$ 18 985[1] 
IDH (2015)0,878 (28.º) – muito elevado[2]
Gini (1996)25,4
MoedaCoroa (koruna) (CZK)
Fuso horárioCET (UTC+1)
 - Verão (DST)CEST (UTC+2)
ClimaOceânico e continental
Org. internacionaisONU, OMC, OCDE, UE, OTAN
Cód. ISOCZE
Cód. Internet.cz
Cód. telef.+420

Mapa da Chéquia / Tchéquia

Chéquia ou Tchéquia[3][4] (em checo, Česko, pronunciado: [ˈtʃɛsko])[nota 1], oficialmente República Checa ou Tcheca (em checo: Česká republika, pronunciado: [ˈt͡ʃɛskaː ˈrɛpuˌblɪka] ( ouvir)), é um país da Europa Central, limitado ao norte pela Polónia e pela Alemanha; a leste, pela Eslováquia; ao sul, pela Áustria; a oeste, pela Alemanha. A capital do país é Praga, que também é sua maior e mais populosa cidade. A Boémia, na parte ocidental do país, é cercada por morros baixos e forma uma bacia drenada pelo Labe (Elba) e Moldava (Vltava). Morávia, a parte oriental também é montanhosa e é banhada pelo rio Morava. Silésia, a parte do norte da Morávia, entre a Morávia e a Polônia.

Depois da Batalha de Mohács em 1526, o Reino da Boêmia foi gradualmente integrado na Monarquia de Habsburgo como uma de suas três partes principais, ao lado do Arquiducado da Áustria e o Reino da Hungria. A Revolta Boémia (1618-1620), contra os Habsburgos católicos, levou à Guerra dos Trinta Anos, após o qual a monarquia consolidou sua regra, re-imposta ao catolicismo e adotou uma política de gradual germanização. Com a dissolução do Sacro Império Romano em 1806, o reino da Boêmia tornou-se parte do Império Austríaco. No século XIX, as terras checas tornaram-se a potência industrial da monarquia e do núcleo da República da Checoslováquia, que foi formado em 1918, após o colapso do Império Austro-Húngaro após a Primeira Guerra Mundial. Depois de 1933, a Checoslováquia permaneceu como a única democracia na Europa Central.

Na sequência do Acordo de Munique e da anexação polonesa de Zaolzie, a Checoslováquia caiu sob ocupação alemã durante a Segunda Guerra Mundial. Em 1945, uma grande parte do país foi libertada pelo Exército Vermelho, e a gratidão subseqüente para os soviéticos, combinada com a desilusão com o Ocidente por não intervir, levou o Partido Comunista da Tchecoslováquia a alcançar a vitória nas eleições de 1946. Após o golpe de Estado em 1948, a Checoslováquia tornou-se um Estado comunista de partido único sob a influência soviética. Em 1968, aumentando a insatisfação com o regime, culminou com um movimento de reforma conhecido como a Primavera de Praga, que terminou com uma invasão dos exércitos dos países do Pacto de Varsóvia (com exceção da Roménia). A Checoslováquia permaneceu ocupada até 1989 quando, através da Revolução de Veludo, o regime comunista caiu e uma república parlamentar multipartidária foi formada. Em 1 de Janeiro de 1993, a Checoslováquia pacificamente dissolveu-se em seus estados constituintes: a República Checa e a República Eslovaca.

A República Checa é um país desenvolvido[5] com economia avançada[6] e com padrões de vida elevados.[7] A ONU classifica o país como o 14º no desenvolvimento humano ajustado à desigualdade.[8] A República Checa também classifica-se como o nono país mais pacífico na Europa, ao conseguir o melhor desempenho em governança democrática e mortalidade infantil na região. É uma democracia representativa parlamentar pluralista com a adesão na União Europeia em maio de 2004, da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) e do Conselho da Europa.

Etimologia

O nome tradicional "Boêmia" deriva do latim Boiohaemum, que significa "casa do Boii". O nome atual vem do endônimo Čech, emprestado do ´polonês.[9][10] O nome vem da tribo eslava (checos, em checo: Čechové) e, segundo a lenda, o seu líder Čech, que os trouxe para Boêmia, para se assentar na montanha Říp. A etimologia da palavra Čech pode ser rastreada até a raiz protoeslava *čel-, que significa "membro do povo; parente", tornando-se assim cognato à palavra checa člověk (uma pessoa).[11]