REDD

  • redd (do inglês reducing emissions from deforestation and forest degradation; em português, "redução de emissões decorrentes do desmatamento e da degradação de florestas") é uma série de passos projetados para utilizar incentivos de mercado e financeiros visando a redução de emissões dos gases do efeito estufa decorrentes degradação das florestas e do desmatamento. É um mecanismo que , em tese, tem como finalidade atacar as causas do aquecimento global, reduzindo o desmatamento e a degradação ambiental em geral.[carece de fontes?]

    basicamente, a redd possibilita que governos e empresas  comprem permissões para proteger florestas, de forma a compensar as emissões de co2 decorrentes da poluição que geram.[carece de fontes?]

    embora apresentado como um meio de deter o desmatamento, a redd suscitou oposição generalizada por parte de grupos ambientalistas e indígenas, pois, para garantir que não haja emissões de carbono naquelas florestas compensatórias, as empresas ou governos devem assegurar-se de que ninguém use madeira, por exemplo, seja para o abrigo, lenha ou qualquer outra finalidade. isso, evidentemente, vai de encontroaos costumes dos grupos indígenas locais, aqueles que habitam as florestas. a crítica dos ambientalistas é que o redd provoca impactos muito graves sobre as comunidades indígenas somente para que a poluição e o aquecimento global possam continuar.[1][2] [3]

    referências

  • ver também
  • ligações externas

REDD (do inglês Reducing Emissions from Deforestation and Forest Degradation; em português, "Redução de emissões decorrentes do desmatamento e da degradação de florestas") é uma série de passos projetados para utilizar incentivos de mercado e financeiros visando a redução de emissões dos gases do efeito estufa decorrentes degradação das florestas e do desmatamento. É um mecanismo que , em tese, tem como finalidade atacar as causas do aquecimento global, reduzindo o desmatamento e a degradação ambiental em geral.[carece de fontes?]

Basicamente, a REDD possibilita que governos e empresas  comprem permissões para proteger florestas, de forma a compensar as emissões de CO2 decorrentes da poluição que geram.[carece de fontes?]

Embora apresentado como um meio de deter o desmatamento, a REDD suscitou oposição generalizada por parte de grupos ambientalistas e indígenas, pois, para garantir que não haja emissões de carbono naquelas florestas compensatórias, as empresas ou governos devem assegurar-se de que ninguém use madeira, por exemplo, seja para o abrigo, lenha ou qualquer outra finalidade. Isso, evidentemente, vai de encontroaos costumes dos grupos indígenas locais, aqueles que habitam as florestas. A crítica dos ambientalistas é que o REDD provoca impactos muito graves sobre as comunidades indígenas somente para que a poluição e o aquecimento global possam continuar.[1][2] [3]

Referências

  1. Is REDD the New Green? Indigenous Groups Resist Carbon Market-Based Forestry Scheme to Offset Emissions. Democracy Now!, 9 de dezembro de 2010.
  2. NO REDD Papers. Volume I. Novembro de 2011.
  3. Uma tragédia que se revela nos territórios. Três situações, uma em cada continente, explicitam como o mecanismo de Redução de Emissões de Desmatamento e Degradação (Redd) acontece, na prática, em três comunidades indígenas. Por Winnie Overbeek. Porantim, setembro de 2014.