Pegada ecológica

Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde janeiro de 2019). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser acadêmico)

Pegada ecológica é uma expressão traduzida do inglês ecological footprint e refere-se, à quantidade de terra e água (medida em h [hectares]) que seria necessária para sustentar as gerações atuais, tendo em conta todos os recursos materiais e energéticos, gastos por uma determinada população.[1] O termo foi primeiramente usado em 1992 por William Rees, um ecologista e professor canadense da Universidade de Colúmbia Britânica e seu aluno de doutorado Mathis Wackernagel. Em 1995, Wackernagel e Rees publicaram o livro chamado Our Ecological Footprint: Reducing Human Impact on the Earth.

A pegada ecológica é atualmente usada ao redor do mundo como um indicador de sustentabilidade ambiental. Pode ser usado para medir e gerenciar o uso de recursos através da economia. É comumente usado para explorar a sustentabilidade do estilo de vida de indivíduos, produtos e serviços, organizações, setores industriais, vizinhanças, cidades, regiões e nações.[2] A pegada ecológica de uma população tecnologicamente avançada é, em geral, maior do que a de uma população subdesenvolvida.

Componentes da Pegada Ecológica

Para calcular a Pegada ecológica é necessário somar todos os componentes que podem causar impactos ambientais, tais como:

  • área de energia fóssil (representa a área que deveríamos reservar para a absorção do CO2 que é libertado em excesso);
  • terra arável (representa a área de terreno agrícola necessária para suprir as necessidades alimentícias da população);
  • pastagens (representa a área necessária para criar o gado em condições minimamente "razoáveis");
  • floresta (representa a área de floresta necessária para fornecer madeira e seus derivados e outros produtos não lenhosos);
  • área urbanizada (representa a área necessária para a construção de edifícios).

Inúmeras organizações não governamentais (ONGs) lançaram programas para cálculo da pegada ecológica.