Organização industrial

Organização industrial é um campo da economia que estuda a estrutura e os limites entre as empresas e os mercados e as interações estratégicas das empresas. O estudo da organização industrial acrescenta ao modelo de concorrência perfeita atritos do mundo real, como informação limitada, custos de transação, custos do ajustamento de preços, intervenções do governo e barreiras à entrada de novas empresas num mercado que pode ser associado a concorrência imperfeita. Em seguida, considera como as empresas estão organizadas e como eles competem.[1] O assunto tem sido descrito como sendo referente a mercados que "não podem facilmente ser analisados usando o modelo competitivo padrão dos livros de texto."[2] O desenvolvimento da organização industrial como um campo separado deveu muito a Edward Chamberlin, Edward S. Mason e Joe S. Bain.

Há duas abordagens principais para o estudo da organização industrial. A primeira abordagem é essencialmente descritiva e fornece uma visão geral da organização industrial. O segundo, uma teoria de preço, usa modelos microeconômicos para explicar o comportamento e estrutura de mercado da firma [1] No que respeita a interações estratégicas das firmas, a teoria dos jogos não-cooperativos tornou-se o método padrão unificador da análise.[3]

Estruturas de mercado

As estruturas de mercado mais estudadas neste campo são as seguintes: