Língua urdu
English: Urdu

Urdu (Lashkari) (اردو/لشکری)
Falado em:Oficialmente, Paquistão, Índia e Afeganistão. Extra-oficialmente, Kuwait, Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita, Bahrein, Reino Unido, Estados Unidos, África do Sul e em vários outros países.
Total de falantes:320 milhões nativos, 560 milhões ao todo
Posição: 5º posição como língua mãe e 2º posição contando também os falantes de hindi.
Família:Indo-europeia
 Indo-iraniana
  Indo-ariana
   Idiomas hindi ocidentais
    Hidustânil
     Urdu (Lashkari)
Escrita: Alfabeto urdu
Estatuto oficial
Língua oficial de: Paquistão, Índia
Códigos de língua
ISO 639-1:ur
ISO 639-2:urd
ISO 639-3: urd

O urdu (اردو) (também conhecida indevidamente como lashkari لشکری[1]) é uma língua indo-europeia da família indo-ariana que se formou sob influência persa, turca e árabe no sul da Ásia durante a época do sultanato de Deli e do Império Mongol (1200-1800).

Isoladamente, urdu é o 5º idioma mais falado do mundo como idioma nativo, sendo o idioma nacional do Paquistão, e um dos 24 idiomas nacionais da Índia. Entretanto, o urdu, muito similar ao hindi, muitas vezes é considerado - juntamente com o hindi - como sendo parte do continuum linguístico denominado hindustâni, neste caso sendo o segundo idioma mais falado do mundo. O urdu é escrito em um alfabeto árabe modificado.

Origem

O termo urdu é derivado da palavra turca ordu (exército), que deu origem a palavra portuguesa horda. Desde a conquista do Sultanato de Déli e do Império Mogol até o periodo da Índia britânica, o urdu era utilizado tanto por hindus quanto por muçulmanos. Este caráter uno da língua perdurou até ser substituido pelo persa quando foi considerado ao lado do inglês uma da línguas oficiais. Este fato desencadeou no noroeste da Índia que protestaram que a língua deveria ser escrita no tradicional alfabeto devanágari. Apesar de um novo registro literário chamado hindi ter substituido o tradicional hundustâni como a língua oficial do estado de Bihar em 1881, estabelecendo uma divisão sectária entre as línguas, onde o urdu ficou para os muçulmanos e o hindi para os hindus, uma divisão que se tornou mais evidente com a divisão entre Índia e Paquistão logo após a proclamação da Independência da Índia. Após a independência, o governo paquistanês adotou uma política de valorização do vocabulário persa.