Gestão de conflitos

Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde dezembro de 2016).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

Gestão de conflitos pode ser parte integrante da gestão de uma organização, ou de um negócio, ou saber lidar com interesses opostos em uma negociação entre indivíduos e/ou grupos, por meio da utilização de técnicas, práticas e processos.

De um ponto de vista da Gestão Empresarial, a gestão de conflitos é uma matéria a ser considerada assim como a área financeira, a área de tecnologia, a área de recursos humanos etc. Grandes empresas, dependendo do tipo ramo da empresa possuem uma área de gerenciamento de conflitos que são pertinentes ao negócio..

Do ponto de vista de Projetos, a gestão de conflitos é mais uma matéria a ser controlada, assim como a qualidade, o custo, o tempo etc. A maioria dos projetos lidam com problemas conflituosos relacionados às entregas, construção, como fazer, reforma, entre outros conflitos.

Do ponto de vista da Negociação e da Mediação/Arbitragem/Conciliação, a gestão de conflitos visa o controle entre as partes para chegar ao ganha-ganha, onde as partes envolvidas tem o problema solucionado e ambas partes saem ganhando segundo seus interesses.

O processo do conflito

Da incompatibilidade de ideias, interesses e escolhas surge o conflito, que nada mais é do que a “profunda falta de entendimento e de empatia entre duas ou mais partes. É um processo característico do ser humano pois o mesmo dificilmente possui iguais objetivos e essa diferença faz com o que conflito exista. Ele nasce da diferença de ideias, quando um indivíduo percebe que alguém pode afetá-lo de alguma forma significativa.[1]

Este processo pode ser dividido em cinco estágios conforme quadro abaixo:

Estágios do processo do conflito