Geografia econômica

Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde novembro de 2012). Por favor, referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser acadêmico)

A geografia econômica é o estudo da localização, distribuição e organização espacial das atividades econômicas na Terra. A geografia econômica está focada na: - localização de indústrias e atividades comerciais no atacado e varejo; - em rotas comerciais e de transporte; e nas mudanças de valor do mercado imobiliário. Cursos em geografia econômica podem abranger tópicos como transporte, agricultura, localização industrial, comércio internacional, e a organização espacial e funções das atividades de negociação

Subdivisão

A geografia econômica pode ser sub-dividida nas seguintes disciplinas:

  • Geografia agrária
  • Geografia Industrial
  • Geografia dos Serviços
  • Geografia dos Transportes
  • outros

Porém, suas áreas de estudo podem se sobrepor, ou ser avaliadas individualmente.

Ellsworth Huntington, professor do Departamento de Economia da Universidade de Yale no começo do século XX, notou que regiões frias como os Estados Unidos, as Ilhas Britânicas, Europa e Japão tinham uma performance econômica superior à de países tropicais, fenômeno ao qual chamou de "paradoxo tropical". Huntington associava as diferenças de performance às diferenças climáticas. Muitos economistas ficaram inconformados com esta ideia.

De acordo com Huntington, a influência do clima na performance econômica também podia ser verificada nas estruturas políticas. Estados tropicais tendem a ter uma história política instável.

Outros fatores que afetam a performance econômica deste modelo é o acesso ao oceano e a presença de materiais raros como o petróleo. Singapura, por exemplo, ocupa uma posição chave como entreposto marítimo, enquanto a riqueza da Arábia Saudita depende inteiramente do Petróleo.

François Perroux, em 1950, propõe uma reflexão sobre o espaço econômico. Estabelece uma estrutura onde o primeiro nível é composto pelas realidades físicas; o segundo trata da sociedade e da economia, fala das empresas e destaca a existência de redes; o terceiro é psicológico: os homens se projetam mentalmente no futuro, as empresas elaboram projetos, a região não é somente uma realidade presente. Perroux é quem introduz a dimensão psicológica. (CLAVAL,2002. in "Elementos de Epistemologia da Geografia Contemporânea", Editora UFPR)