Engenharia económica

Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde maio de 2011).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

Engenharia económica (português europeu) ou engenharia econômica (português brasileiro) é a tradução de engineering economy. Economia da engenharia é uma tradução alternativa de engineering economy, no Brasil. De acordo com o Institute of Industrial Engineers (IIE), a engenharia económica é definida como a aplicação da análise e síntese económica ou matemática às decisões de engenharia ou um corpo de conhecimentos e técnicas envolvidas na avaliação do valor de mercadorias e serviços relativamente ao custo e nos métodos de estimar os dados.[1]

Entre os livros pioneiros de engenharia económica são de referir: The Economic Theory of Railway Location de A. M. Wellington (1877) e Principles of Engineering Economy de Eugene L. Grant (1930) que, no prefácio, se refere a um corpo de princípios que governam os aspectos económicos das decisões de engenharia, tal como acontece com as características físicas.». O grande desenvolvimento da engenharia económica ocorreu na segunda metade do século XX. The Engineering Economist é a única revista científica dedicada à disciplina de engenharia económica.

Nos problemas de engenharia económica considera-se que todos os pagamentos ou séries de pagamentos futuros que reembolsem uma quantia presente com juros são equivalentes entre si, podendo esses valores ser calculados por fórmulas adequadas, que se podem representar por factores. É, assim, possível comparar alternativas de investimento com diferentes séries prospectivas de receitas e despesas utilizando os métodos do valor anual equivalente, valor presente, taxa de rendimento e/ou análise benefício-custo. Estes métodos, quando utilizados correctamente, permitem chegar a conclusões idênticas.

Designação

Engenharia económica (ou econômica, no Brasil) é a tradução de engineering economy, à semelhança do que acontece com engenharia física (engineering physics).

Quatro autores foram pioneiros com a publicação, no Brasil, de um livro com esse título: Abelardo Puccini, Geraldo Hess, José Luiz Marques e Luiz Carlos Rocha Paes. O livro Engenharia Econômica é publicado no Rio de Janeiro/RJ, Brasil, pela Editora Fórum, em 1969.

Em Portugal, a engenharia económica aparece em 1984, como disciplina afim de uma das especialidades de doutoramento, do ramo Engenharia Industrial, a conferir pela Universidade Nova de Lisboa, através da Faculdade de Ciências e Tecnologia.[2] A disciplina semestral Engenharia Económica é oferecida, pela primeira vez, no ano lectivo de 1984/85, na mesma faculdade, no âmbito do curso de licenciatura em Virgílio Azuíl Páscoa Machado, professor associado de engenharia industrial, dessa faculdade.

Economia da engenharia é uma tradução alternativa de engineering economics, no Brasil.[3] Em Portugal, economia da engenharia foi, por exemplo, uma das disciplinas do grupo de Engenharia Industrial, da estrutura orgânica do quadro de professores catedráticos e associados da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa de 1984[4] a 1993,[5] data em que essa designação foi substituída por engenharia económica.