Edward Jenner
English: Edward Jenner

Edward Jenner
Conhecido(a) porVacina contra a varíola
Nascimento17 de maio de 1749
Berkeley, Gloucestershire
Morte
Berkeley, Gloucestershire
NacionalidadeBritânico
Campo(s)Medicina e Biologia

Edward Jenner FRS (Berkeley, 17 de maio de 1749 — Berkeley, 26 de janeiro de 1823) foi um naturalista e médico britânico que praticava em Berkeley, filho de um vigário anglicano. Edward Jenner era o oitavo entre nove irmãos e, tendo recebido uma rígida educação, aos 14 anos, se tornou aprendiz do cirurgião do seu povoado natal. Mais tarde, estudou em Londres. Em 1772, voltou para Berkeley, dedicando-se à medicina onde seria conhecido pela invenção da vacina contra a varíola.[1]

Placa comemorativa em Munique, Am Neudeck 1

Jenner também se dedicou a outras áreas de pesquisa, colecionando fósseis e realizando pesquisas em horticultura. A primeira descrição da arteriosclerose foi dada por Jenner, como se verifica no seguinte texto:

O seu legado para a humanidade estará, todavia, sempre ligado ao princípio da vacinação e à varíola.

Foi eleito membro da Royal Society em 1789.[2]

Descoberta da vacina

Edward Jenner solicitando a um camponês que vacine sua família, em pintura de 1910

Em 1789, Edward Jenner observou que as vacas tinham, nas tetas, feridas iguais às provocadas pela varíola no corpo de humanos. Os animais tinham uma versão mais leve da doença, a varíola bovina, ou bexiga vacum. Em maio de 1796, resolveu pôr à prova a sabedoria popular que dizia que quem lidava com gado não contraía varíola. Ao observar que as mulheres responsáveis pela ordenha quando expostas ao vírus bovino tinham uma versão mais suave da doença, então ele conduziu sua primeira experiência com James Phipps, um menino de oito anos.

Jenner inoculou James Phipps usando pus das bolhas das mãos de Sarah Nelmes, uma leiteira que adquiriu a varíola bovina através do contato com gado . O menino teve um pouco de febre e algumas lesões, mas não desenvolvendo a infecção da varíola completa, tendo uma recuperação rápida. A partir daí, Jenner pegou o líquido da ferida de outro paciente com varíola e novamente expôs o garoto ao material. Semanas depois, James Phipps não desenvolveu varíola. Estava descoberta assim a propriedade de imunização. Phipps foi o décimo-sétimo caso descrito no primeiro artigo de Jenner sobre vacinação.

Dr Jenner realizando a vacinação em James Phipps, um garoto de oito anos de idade. 14 de Maio de 1796

No ano seguinte, ele relatou a sua experiência à Royal Society - a Academia de Ciências do Reino Unido -, mas as provas que ele apresentou foram consideradas insuficientes. Ele realizou então novas inoculações em outras crianças, inclusive no seu próprio filho. Em 1798, o seu trabalho foi reconhecido e publicado. No entanto, os seus críticos procuravam ridicularizá-lo, denunciando como repulsivo o processo de infectar gente com material colhido de animais doentes. Mas as vantagens da vacinação, porém, logo se tornaram evidentes, criando imunidade à varíola humana, uma das doenças epidêmicas mais mortais da humanidade.

A varíola só seria erradicada na década de 1980, de acordo com a Organização Mundial de Saúde. Edward Jenner foi capaz de descobrir a vacina para essa doença que tanto matava naquela época.