Edimburgo

Disambig grey.svg Nota: Para cidade estadunidense no Texas, com nome semelhante, veja Edinburg.
Edimburgo
Edinburgh
Geografia
Área Total264 km² ( posição)
CategoriaCouncil Area, Cidade
Demografia
População Total (2011[1])495.360 habitantes (2 posição)
Densidade4,776 hab./km²
Política
Flag of Edinburgh.svg
Arms of Edinburgh.png
Nome do ConselhoCity of Edinburgh Council
Sitehttp://www.edinburgh.gov.uk
Vista da Princes Street, em Edimburgo.

Edimburgo (em inglês: Edinburgh; em gaélico escocês: Dùn Èideann) é uma cidade, capital da Escócia, no Reino Unido, com poderes próprios, situada na margem sul do estuário do rio Forth (Firth of Forth). É a capital escocesa desde 1492, sendo sede do parlamento escocês desde 1999. Segundo o census do ano 2011, a cidade conta com 495 360 habitantes[1], sendo a segunda cidade mais populosa da Escócia, depois de Glasgow, e a sétima mais populosa cidade do Reino Unido.

Edimburgo é também uma das 32 Áreas de Conselho da Escócia, subdivisão administrativa similar aos estados brasileiros, desde 1996 quando este tipo de subdivisão foi atribuída para substituir os distritos e regiões que existiam desde 1975.

A cidade é dominada pelo Castelo de Edimburgo construído sobre uma rocha de origem vulcânica. Após a unificação do parlamento da Escócia com o da Inglaterra, Edimburgo perdeu sua importância política mas permaneceu um importante centro económico e cultural. A cidade é mundialmente conhecida pelo Festival de Edimburgo que acontece durante três semanas no mês de agosto. A cidade ainda possui uma das mais prestigiadas universidades da Europa e do mundo, a Universidade de Edimburgo, pioneira na informática e gerenciamentos.

O nome da cidade

Localização da cidade de Edimburgo na Escócia.

A origem do nome

O Castelo de Edimburgo

A origem do nome da cidade provavelmente vem da palavra Din Eidyn (Forte de Eidyn) dos tempos em que unicamente era um forte Gododdino (povo britânico).

No século I os romanos documentaram que os Votadino eram uma tribo britânica local, e no século XII o antigo poema Y Gododdin menciona uns guerreiros celebrando no "grande salão de Eidin".

Depois de ser atacada e conquistada pelos bernicianos anglo-saxões o nome foi mudado para Edin-burh, o qual se crê que deriva do inglês antigo e que significa "Forte de Edwin", possivelmente referindo-se ao rei do século VII, Eduíno da Nortúmbria. Entretanto, como o nome é anterior ao rei Eduíno, é muito improvável que ele seja certo. O elemento burgo é muito comum entre os nomes das cidades escocesas e em todas as línguas germânicas, e denomina a uma classe de cidade caracterizada por crescer ao redor de uma estrutura central fortificada, como um forte ou castelo.

Outros nomes

Conhecida também com "a Atenas do Norte" pelo fato de a cidade ter sido um dos principais centros intelectuais no Iluminismo e Revolução Industrial. Além disso, as duas cidades são topograficamente parecidas e na cidade encontra-se o Monumento Nacional sob Calton Hill que lembra a acrópole de Atenas. Alguns escoceses a chamam informalmente de "Embro" ou "Embra"[2]. Em veneto o nome da cidade é Ebora. Edimburgo foi também chamada popularmente de Auld Reekie ("velha fedorenta") em razão de suas muitas chaminés, principalmente antes da invenção dos aquecedores elétricos.

Centro

O histórico centro de Edimburgo é dividido em duas grandes áreas verdes pelos Princes Street Gardens. Ao sul se encontra a cidade velha ("Old Town") e o Castelo de Edimburgo sentado em extinto vulcão, o Castle Rock. Ao norte do jardim, se encontra a nova cidade ("New Town") e a Princes Street (Rua dos Príncipes). Ao oeste do castelo, se encontra o bairro financeiro da cidade. Os jardins foram feitos em 1816 onde se encotrava o pantano Nor' Loch.

Old Town

Ver artigo principal: Cidade Velha de Edimburgo
Royal Mile em Old Town

A cidade velha de Edimburgo preserva sua fisionomia medieval. Encontra-se nesta parte da cidade, o Castelo de Edimburgo, a Catedral St. Gilles, o Museu Real da Escócia, o Palácio de Holyrood e Universidade de Edimburgo e a Royal Mile (ou Milha Real), nome que se dá a uma sucessão de ruas que forma a artéria principal da cidade velha.

Old Town tem preservado sua estrutura medieval e muito de seus edifícios da Reforma Protestante. Um extremo esta fechado pelo castelo e pela artéria principal de pequenas ruas chamadas closes ou wynds. Encontram-se grandes praças que marcam lugares de importância como a Catedral Saint-Giles. Outros notáveis lugares de interesses são, o Museu Real da Escócia, Surgeons' Hall, a Universidade de Edimburgo, e numerosas ruas subterrâneas, que são relíquias de antigas classes de construção. O plano urbano, típico de muitas cidades da Europa do Norte, é especialmente pitoresco em Edimburgo, onde o Castelo de Edimburgo se sobressai desde a colina rochosa e restos de um vulcão, e donde a rua principal desliza até em baixo lado a lado com a colina.

Princes Street

Durante o século XIII a população de Old Town tinha aproximadamente 80.000 residentes. Entretanto foi caindo com o tempo chegando a atingir 4.000 habitantes, hoje em dia tem aproximadamente 20.000 habitantes em várias partes de Old Town. A população começou a construir edifícios fora da muralha defensiva do castelo, a necessidade por residências cresceu muito e tragicamente, muitos destes edifícios foram destruídos pelo Grande Incêndio de 1824; a reconstrução destas fundações originais levou a mudanças do nível do terreno, o que levou a criação de várias passagens e ruas abaixo de Old Town.

Em 7 de Dezembro, de 2002, outro grande incêndio tomou lugar em Old Town consumindo parte de Cowgate. Também destruiu o famoso clube de comédia, The Gilded Balloon, e bastante do Departamento de Informática da Universidade de Edimburgo, incluindo a biblioteca de Inteligência Artificial.

New Town

Ver artigo principal: Cidade Nova de Edimburgo

Em 1766, o arquitecto James Craig venceu o concurso para a expansão da cidade de Edimburgo para a zona junto ao North Loch, que passou a ser conhecida como New Town. Os nomes das ruas (George Street, Hanover Street, St.Georges Square) não deixavam dúvidas que James, como muitos whigs (partido liberal) presbiterianos escoceses, era favorável à união Escócia-Inglaterra (ver Tratado de União de 1707). New Town tornou-se o lar de comerciantes, banqueiros, profissionais liberais, professores da Universidade, etc.