Economia ortodoxa


Economia ortodoxa ou economia mainstream é uma expressão que se refere às teorias econômicas predominantemente ensinadas nas universidades. É associada à economia neoclássica,[1]à abordagem das expectativas racionais e à síntese neoclássica, que combina os métodos neoclássicos com a abordagem keynesiana da macroeconomia.[2][3][4] É usada em contraste com a expressão economia heterodoxa, constituída por abordagens não hegemônicas nos meios acadêmicos, tais como a economia keynesiana e a economia marxiana.

Termo

A economia ortodoxa também é conhecida como mainstream economics, em inglês, que tem base no modelo walrasiano que se desenvolveu em grande parte a partir da economia neoclássica em finais do século XIX, moldando inclusive o Consenso de Washington. Mas pode se referir também ao monetarismo ou à escola de Chicago.

Essa expressão entrou para o uso comum no final do século XX. O influente livro didático de Samuelson e Nordhaus,[5] na parte de dentro da capa traseira traz a "Árvore da Família da Economia", que apresenta flechas a partir de Keynes e da economia neoclássica. Uma termo mais restrito que também aparece pela primeira vez no livro Economia de Samuelson, é síntese neoclássica (isto é, síntese da economia neoclássica e da macroeconomia keynesiana).[6]