Economia ecológica


Economia ecológica é um campo de estudo transdisciplinar, que reconhece a interdependência da economia e dos ecossistemas naturais ao longo do espaço e do tempo. Ela se distingue de economia ambiental, a qual se baseia na teoria da economia neoclássica. [1][2][3]

Características

As idéias básicas da Economia Ecológica são:[4]

A economia é incorporada na natureza. Há limites para o crescimento material e problemas ambientais críticos, a escala da economia tem sido capaz de ultrapassar seu tamanho sustentável afetando a resiliência da mesma.

O trabalho transdisciplinar, o pluralismo e a visão holística do mundo são fundamentais para enfrentar os problemas ambientais, nenhuma disciplina isolada fornece uma perspectiva suficiente para a magnitude e complexidade da problemática ambiental do planeta.

A natureza é o suporte vital da humanidade, ainda falta conhecimento sobre a natureza e as relações entre as sociedades e o seu meio. Portanto, existe a incerteza sobre as consequências das ações atuais, que por sua vez significa assumir princípios de precaução e abordagens abertas à participação social, já que o conhecimento científico é insuficiente.

Usando a teoria dos sistemas, proveniente das ciências naturais para entender a dinâmica e evolução dos problemas.

As questões de equidade e distribuição intra e intergeracionais são essenciais.

A natureza tem um valor por si mesma, independentemente do seu uso ou utilidade para os seres humanos.

A economia está integrada em sistemas culturais e sociais mais amplas para que a natureza, economia e sociedade coevoluam. Os aspectos sociais e culturais assumem grande importância.