Economia do Paraguai

Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde agosto de 2017).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Economia do Paraguai
Silos e plantação de soja no Paraguai.
MoedaGuarani
Ano fiscalano calendário
Blocos comerciaisOMC, Mercosul, Unasul
Estatísticas
PIB98,9 bilhões (2018) (91º lugar)
Variação do PIB4,7% (2018)
PIB per capita14 031
PIB por setoragricultura 12%, indústria 33,4%, serviços 54,6% (2018)
Inflação (IPC)3,8% (2017)
População
abaixo da linha de pobreza
26,2% (2017)
Coeficiente de Gini0,478 (2018)
Força de trabalho total3 385 820 (2017)
Força de trabalho
por ocupação
agricultura 26,5%, indústria 18,5%, serviços 55% (2008)
Desemprego5,5% (2017)
Principais indústriasaçúcar, cimento, têxteis, bebidas, produtos de madeira, aço, metalurgia, energia elétrica
Exterior
Exportações12,1 bilhões (2017)
Produtos exportadossoja, alimentos para animais, algodão, carne, óleos comestíveis, madeira, couro
Principais parceiros de exportaçãoUruguai 15%, Brasil 11,4%, Argentina 10,2%, Chile 8,3%, Rússia 6,6%, Países Baixos 5,4%, Alemanha 4,3% (2011)
Importações11,6 bilhões (2017)
Produtos importadosveículos rodoviários, bens de consumo, tabaco, derivados de petróleo, máquinas elétricas, tratores, produtos químicos, peças de veículos
Principais parceiros de importaçãoBrasil 27,5%, República Popular da China 16,9%, Estados Unidos 15%, Argentina 14,8%, Chile 4,4% (2011)
Dívida externa bruta2 245 milhões (2012)
Finanças públicas
Receitas4 687 milhões (2012)
Despesas5 122 milhões (2012)
Fonte principal: The World Factbook[1]
Salvo indicação contrária, os valores estão em US$

A economia do Paraguai é maiormente industrial e de serviços, como ja esteve mostrando com o crescimento a longo prazo [2].

Em 2018 o Paraguai experimentará uma das maiores expansões econômicas da região da América Latina, com uma perspectiva de crescimento do PIB de 4,7% para o final do ano e 4,1% para o 2019. O 12% do crescimento do PIB corresponde à agricultura; o 33,4% à indústria (incluindo a construção e as utilidades públicas); o 47,1% corresponde a serviços e 7,5% às taxas.

Setor primário

Agricultura, pecuária, pesca e silvicultura

A metade da população ativa do Paraguai dedica-se ao setor primário, embora só uma pequena porção das terras aráveis seja cultivada. Os produtos mais importantes são mandioca, milho, cana-de-açúcar, soja, banana, algodão e, em menor escala, arroz, café, fumo, erva-mate e sementes oleaginosas. A cultura da soja experimentou grande crescimento em regiões do Alto Paraná e Itapúa, a ponto de converter o Paraguai em um dos principais exportadores mundiais do produto.

Há criação de porcos, carneiros, cavalos e aves, a do gado bovino tem importância maior. Este é criado extensivamente no Chaco oriental e no sul do país. Os grandes rios são muito piscosos, mas a pesca é praticada apenas de maneira artesanal. A exploração florestal aproveita numerosas espécies tropicais de madeira dura, como o quebracho-branco, de que se extrai o tanino.

A pecuária está presente em todo o território paraguaio e é uma das principais fontes de divisas do país, junto com o setor agrícola. A pecuária tem acompanhado o Paraguai durante toda a sua história, a tradição pecuária no país vem dos tempos da colonização espanhola[3].

Mineração

O Paraguai tem sido considerado por muito tempo como um país pobre em recursos minerais. Desde 2009, essa ideia vem sendo rejeitada como consequência da descoberta de grandes reservas de urânio na área de Yuty, Departamento de Caazapá, por uma empresa de capital canadense (Chris Healey Transandes Paraguay)[4][5][6][7].

Desde então, as notícias do setor de mineração no Paraguai têm sido mais do que positivas. Esse ano foi anunciada a descoberta da que poderia ser a maior reserva mundial de titânio[8][9][10][11][12][13][14].

O setor de mineração no Paraguai tornou-se muito atraente para os investidores estrangeiros e, segundo alguns especialistas, podem tornar o país como a nova potência latinoamericana em minerais [15]. Também foi descoberto ouro, cobalto, níquel e cromo[16].

A possibilidade de extrair o petróleo do Chaco não se concretizou. Existem pequenas jazidas de ferro, manganês e cobre, de exploração incipiente.