Cone Sul
English: Southern Cone

Cone Sul

Southern cone.png

  Regiões incluídas em todas as acepções.
  Regiões geralmente incluídas, mas não sempre.
  Regiões só excepcionalmente incluídas.
Área7.372.685 km²
População139.015.454 ( 2008 est.)
Densidade22.9/km²[1]
Países4 ou 5
Dependencies18
Gentílicosul-americano
LínguasEspanhol, Português, Italiano e outras
Fuso-horárioUTC até UTC -10:00
Maiores
aglomerações
urbanas
(2005)
Brasil São Paulo
Chile Santiago
Argentina Buenos Aires
Brasil Curitiba
Brasil Porto Alegre
Argentina Córdoba
Uruguai Montevideo

Cone Sul (em castelhano: Cono Sur) é uma região composta pelas zonas austrais da América do Sul, ao sul do Trópico de Capricórnio, formando uma espécie de grande península que define o sul do subcontinente. Geograficamente, o Cone Sul da América é a porção sul do continente americano, cuja forma se assemelha a de um triângulo escaleno.

  • Em sua classificação tradicional, a região é composta geopoliticamente por Argentina, Chile e Uruguai, e seu território ocupa uma área total de 3 712 454 km², limitado a norte por Bolívia, Brasil, Paraguai e Peru; a leste pelo Oceano Atlântico; a sul pelo Estreito de Drake, o ponto do continente mais próximo da Antártida) e a oeste pelo Oceano Pacífico.[2][3]
  • O Paraguai é às vezes incluído,[3] devido a área geográfica da região e aspectos históricos e políticos, mas sua exclusão surge quando se consideram as suas características econômicas e sociais que o distinguem dos outros países da região.
  • Em seu sentido mais amplo, em termos de semelhanças entre os países da área, incluiria Argentina, Chile, Uruguai e o sul do Brasil, composto pelos estados brasileiros do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. A área total da área delimitada com a inclusão dessa região chegaria então a 4 290 283 km². Ocasionalmente, também inclui-se o estado brasileiro de São Paulo ao Cone Sul, devido a várias características em comum com os outros países da região, como proximidade, alta industrialização e urbanização e um grande PIB.[4]

A principal língua falada na região é o espanhol, devido à colonização espanhola do século XVI ao XIX; se incluir o Brasil, a língua mais falada seria o português. A alta expectativa de vida, o mais alto Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da América Latina, o alto padrão de vida e a participação significativa nos mercados globais e as economias emergentes[5] dos seus membros fazem o Cone Sul uma das mais prósperas macro-regiões da América Latina.[2][6][7]

Geografia

Geomorfología

Imagem de satélite do Cone Sul por mês.

Entre os elementos geográficos de destaque, encontram-se:

  • A cordilheira dos Andes, que no Cone Sul adquire as maiores altitudes do hemisfério sul, inclusive seu ponto culminante (o Aconcágua). Em contrapartida, também estão as maiores depressões continentais do hemisfério sul, sob o nível do mar ( Grande Depressão de San Julián).
  • As amplas e férteis planícies dos Pampas e o Chaco, contrastadas pela chamada Diagonal Árida que se estende desde o Deserto do Atacama até certas regiões semidesérticas da Patagônia Oriental.
  • O planalto da Patagônia, a Terra do Fogo, as Ilhas Malvinas (ocupadas pelo Reino Unido e reivindicadas pela Argentina).
  • Os grandes estuários e rios: desde o mais largo do mundo (o Rio da Prata, os grandes rios da Bacia do Prata como os rios Paraná, o Paraguai, o Uruguai, o Iguaçu, o Pilcomayo, o Bermejo e o Salado del Norte, que formam um sistema de retroalimentação com o Aquífero Guarani.
  • O Mar da Argentina, uma das mais extensas plataformas continentais do mundo.
  • Os Campos de Gelo da Patagônia, acompanhados de grandes glaciares ativos.
  • Grandes e importantes sistemas lacustres de origem glaciar, como os que se encontram no sul do Chile e na região andino-patagônica da Argentina e do Chile.

Clima

O clima predominante na região é o clima temperado, com quatro estações bem definidas. O extremo sul da região tem um clima de tundra isotérmica.

O centro-norte da região (Uruguai, sul do Brasil e parte da Argentina) tem clima subtropical. O norte do Chile tem o deserto do Atacama, um dos mais secos da terra. A Patagônia Oriental tem um clima semiárido frio.

O extremo norte da região tem clima tropical. A cidade de Santiago do Chile tem clima do tipo mediterrâneo, e a região da Serra da Mantiqueira, no sudeste do Brasil, tem clima tropical de altitude.