Chile
English: Chile

República de Chile
República do Chile
Bandeira do Chile
Brasão de armas do Chile
BandeiraBrasão de armas
Lema: Por la razón o la fuerza
(Espanhol: "Pela razão ou a força")
Hino nacional: Puro Chile
Gentílico: chileno(a)

Localização República do Chile

Localização do Chile em verde; área reivindicada pelo país na Antártida em verde claro.
CapitalSantiago[1]
Cidade mais populosaSantiago
Língua oficialEspanhol
GovernoRepública presidencialista
 - PresidenteSebastián Piñera
 - Presidente do SenadoJaime Quintana Leal
 - Presidente da Câmara dos DeputadosIván Flores García
 - Presidente do Supremo TribunalHaroldo Brito Cruz
Independênciada Espanha 
 - Iniciada18 de setembro de 1810 
 - Formalmente declarada12 de fevereiro de 1818 
Área 
 - Total756 950 km² (38.º)
 - Água (%)1,07
 FronteiraPeru (a norte), Bolívia (a nordeste) e Argentina (a leste); oceano Pacífico (a oeste) e oceano Atlântico (a leste).
População 
 - Estimativa para 201718 050 000 hab. (60.º)
 - Censo 201717 574 003[1] hab. 
 - Densidade22 hab./km² (194.º)
PIB (base PPC)Estimativa de 2014
 - TotalUS$ 410,277 bilhões*[2] 
 - Per capitaUS$ 23 165[2] 
PIB (nominal)Estimativa de 2014
 - TotalUS$ 264,095 bilhões*[2] 
 - Per capitaUS$ 14 911[2] 
IDH (2017)0,843 (44.º) – muito alto[3]
Gini (2011)50,3[4]
MoedaPeso Chileno (CLP)
Cód. ISOCHL
Cód. Internet.cl
Cód. telef.+56
Website governamentalwww.gob.cl

Mapa República do Chile

:[1] ^ Embora Santiago seja a capital, o parlamento está localizado em Valparaíso.

Chile (pronunciado em português europeu[ˈʃilɨ, ˈʃiɫ]; pronunciado em português brasileiro[ˈʃili]; pronunciado em castelhano[ˈtʃile]), oficialmente República do Chile (em castelhano: Sobre este somRepública de Chile ), é um país da América do Sul, que ocupa uma longa e estreita faixa costeira encravada entre a cordilheira dos Andes e o oceano Pacífico. Faz fronteira ao norte com o Peru, a nordeste com a Bolívia, a leste com a Argentina e a Passagem de Drake, a ponta mais meridional do país. É um dos dois únicos países da América do Sul que não tem uma fronteira comum com o Brasil, além do Equador. O Pacífico forma toda a fronteira oeste do país, com um litoral que se estende por 6 435 quilômetros.[5] O território chileno inclui alguns territórios ultramarinos, como o Arquipélago Juan Fernández, as Ilhas Desventuradas, a ilha Sala y Gómez e a ilha de Páscoa, as duas últimas localizadas na Polinésia. O Chile reclama a soberania de 1 250 000 quilômetros quadrados de território na Antártida.

O Chile possui um território incomum, com 4 300 quilômetros de comprimento e, em média, 175 quilômetros de largura, o que dá ao país um clima muito variado, indo do deserto mais seco do mundo — o Atacama — no norte do país, a um clima mediterrâneo no centro, até um clima alpino propenso à neve ao sul, com geleiras, fiordes e lagos.[6] O deserto do norte chileno contém uma grande riqueza mineral, principalmente de cobre. Uma área relativamente pequena no centro chileno domina o país em termos de população e de recursos agrícolas. Esta área também é o centro cultural, político e financeiro a partir do qual o Chile se expandiu no final do século XIX, quando integrou as regiões norte e sul em uma só nação. O sul do país é rico em florestas e pastagens e possui uma cadeia de montanhas, vulcões e lagos. A costa sul é um gigantesco labirinto de penínsulas compostas por fiordes, enseadas, canais e ilhas. A cordilheira dos Andes está localizada por toda a fronteira oriental chilena.[7]

Os primeiros humanos provavelmente chegaram ao Chile por 18 500 anos atrás.[8] Antes da chegada dos europeus no século XVI, o norte do Chile estava sob o domínio inca, enquanto os índios Mapuches (também conhecidos como Araucanos pelos colonizadores espanhóis) habitavam o centro e o sul do território. Embora o Chile tenha declarado sua independência em 1817, a vitória decisiva contra o controle espanhol não foi alcançada até 1818. Na Guerra do Pacífico (1879–83), o país venceu a Bolívia e o Peru e conquistou as regiões do norte. O Chile, que até então parecia estar relativamente livre da instabilidade política e do surgimento de governos autoritários que atingiam o resto do continente sul-americano, suportou 17 anos de uma rígida ditadura militar (1973–1990), uma das mais sangrentas do século XX na América Latina, que matou mais de três mil pessoas.[6]

Atualmente, o Chile é um dos mais estáveis e prósperos países da América do Sul.[6] Dentro do contexto maior da América Latina, é um dos melhores em termos de desenvolvimento humano, competitividade, qualidade de vida, estabilidade política, globalização, liberdade econômica e percepção de corrupção, além de índices comparativamente baixos de pobreza.[9] Também é elevado no país o nível de liberdade de imprensa e de desenvolvimento democrático. Em maio de 2010, o Chile se tornou o primeiro país sul-americano a aderir à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE),[10] além de também ser um dos membros de várias outras organizações internacionais, como as Nações Unidas (ONU), a Organização dos Estados Americanos (OEA), a Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC), a União de Nações Sul-Americanas (UNASUL), a Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico (APEC), a Aliança do Pacífico (AP), o Parlamento Latino-americano e a Associação Latino-Americana de Integração (ALADI).

Etimologia

Há várias hipóteses sobre a origem da palavra Chile. De acordo com uma teoria do século XVII do cronista espanhol Diego de Rosales,[11] os incas chamavam o Vale do Aconcágua de "Chili", por decomposição do nome de um chefe tribal picunche chamado Tili, que governou a área no momento da conquista inca durante o século XVI.[12] Outra teoria aponta para a semelhança do vale do Aconcágua com o do Vale de Casma no Peru, onde havia uma cidade e um vale chamados Chili.

Outras teorias dizem que o termo Chile pode ser derivado de uma palavra indígena que significa "confins da terra" ou "gaivotas";[13] a partir da palavra mapuche chilli, que pode significar "onde a terra acaba";[14] ou da palavra quéchua chiri, que significa "frio",[15] ou tchili, que significa tanto "neve"[15][16] como "o ponto mais profundo da Terra".[17] Uma outra origem atribuída ao termo chilli é a onomatopeia cheele-cheele - a imitação mapuche do gorjeio de um pássaro conhecido localmente como trile.[14][18] Os conquistadores espanhóis ouviram falar deste nome dos Incas e os poucos sobreviventes da primeira expedição espanhola de Diego de Almagro ao sul do Peru em 1535-1536 se chamavam os "homens da Chilli".[14] Finalmente, Almagro é creditado pela universalização do nome do "Chile", depois de nomear o vale do Mapocho como tal.