Bielorrússia
English: Belarus

Рэспубліка Белару́сь (bielorrusso)
Respublika Belarus’
Республика Белару́сь (russo)
Respublika Belarus’

República da Bielorrússia
Bandeira da Bielorrússia
Emblema nacional da Bielorrússia
BandeiraEmblema
Hino nacional: Мы, беларусы
(Bielorrusso: Nós, bielorrussos)
Gentílico: bielorrusso(a); [1]

Localização da Bielorrússia

Localização da Bielorrússia (em verde)
No continente europeu (em cinza escuro)
CapitalMinsque
53° 55' N 27º 33' E
Cidade mais populosaMinsque
Língua oficialBielorrusso e russo
GovernoRepública presidencialista[2]
 - PresidenteAleksandr Lukashenko
 - Primeiro-ministroSyarhey Rumas
Independênciada União Soviética 
 - Declarada27 de julho de 1990 
 - Estabelecida25 de agosto de 1991 
 - Completa25 de dezembro de 1991 
Área 
 - Total207.600 km² (85.º)
 - Água (%)desprezível
População 
 - Estimativa para 20189 491 800 Baixa hab. (86.º)
 - Censo 199910 045 237 hab. 
 - Densidade45.8 hab./km² (142.º)
PIB (base PPC)Estimativa de 2018
 - TotalUS$ 188 bilhões (58.º)
 - Per capitaUS$ 20 008 (65.º)
IDH (2017)0,808 (52.º) – muito alto[3]
MoedaRublo bielorrusso (BYR)
Fuso horárioFET (UTC+3)
 - Verão (DST)FET (UTC+3)
Cód. ISOBLR
Cód. Internet.by
Cód. telef.+375

Mapa da Bielorrússia

Bielorrússia ou Belarus[4] (em bielorrusso: Беларусь, translit Bielarus’, pronunciado: [bʲɛlaˈrusʲ]; em russo: Беларусь, translit. Belarus’, pronunciado: [bʲɪlɐˈrusʲ]; ver etimologia; lit. "Rússia Branca"), oficialmente República da Belarus,[5][6][7] é um país sem saída para o mar localizado na Europa Oriental,[8] que faz fronteira com a Rússia a nordeste, com a Ucrânia, ao sul, com a Polônia a oeste, e com a Lituânia e Letônia a noroeste. A sua capital é Minsque, e outras de suas principais cidades são Brest, Grodno (Hrodna), Gomel (Homiel), Mogilev (Mahilyow) e Vitebsk (Viciebsk). Cerca de 40% da sua área total de 207.500 quilômetros quadrados é coberta por florestas,[9] e os seus setores econômicos que mais se destacam são a agricultura e a indústria manufatureira.

Até o século XX, as terras que atualmente formam a Bielorrússia pertenceram a diversos países, incluindo o Principado de Polotsk, o Grão-Ducado da Lituânia, o Império Russo e a Comunidade Polaco-Lituana. Como consequência da Revolução Russa, a Bielorrússia se tornou uma das repúblicas constituintes da União Soviética desde sua formação, e passou a se chamar República Socialista Soviética Bielorrussa (RSSB). A unificação final das terras bielorrussas se deu em 1939, quando o território que pertencia à Segunda República Polonesa se uniu à RSSB.[10][11][12][13][14][15] O país foi devastado durante a Segunda Guerra Mundial, durante a qual a Bielorrússia perdeu cerca de um terço de sua população e mais da metade de seus recursos econômicos;[16] a república foi reestruturada nos anos do pós-guerra. Devido ao impacto do conflito no país, a RSSB tornou-se um dos membros fundadores da Organização das Nações Unidas, juntamente com a República Socialista Soviética Ucraniana e a própria URSS.

O parlamento da república declarou a soberania da Bielorrússia em 27 de julho de 1990, e, logo após o fim da União Soviética, declarou a independência do país em 25 de agosto de 1991. Alexander Lukashenko tem sido o seu presidente desde 1994; sob o seu governo, e apesar das objeções feitas pelos governos de diversos países ocidentais, muitas políticas do período soviético, como o controle estatal da economia, foram reimplementadas. Desde 2000 a Bielorrússia e a Rússia assinaram um tratado de cooperação, indicando uma possível formação de uma União Estatal.

A maior parte da população de 9,85 milhões de habitantes do país reside nas áreas urbanas em torno de Minsque e das outras capitais de divisões regionais (voblast).[17] Mais de 80% da população é composta por bielorrussos nativos, com minorias consideráveis de russos, poloneses e ucranianos. Desde a realização de um referendo em 1995, o país tem dois idiomas oficiais: o bielorrusso e o russo. A Constituição da Bielorrússia não declara uma religião oficial, embora a religião predominante no país seja o cristianismo ortodoxo russo. A segunda religião mais popular, o catolicismo, tem um número bem menor de fieis; tanto o Natal quanto a Páscoa de ambas as religiões, no entanto, que são comemoradas em datas diferentes, são comemorados como feriado nacional.

Em 2018, a Bielorrússia ocupava a 53ª posição entre 189 países no Índice de Desenvolvimento Humano da ONU, e está no grupo dos países com "desenvolvimento muito elevado". Com um sistema de saúde eficiente, tem uma taxa de mortalidade infantil muito baixa de 2,9 (em comparação com 6,6 na Rússia ou 3,7 no Reino Unido). A taxa de médicos per capita é de 40,7 por 10.000 habitantes (26,7 na Roménia, 32 na Finlândia, 41,9 na Suécia) e a taxa de alfabetização é estimada em 99%. De acordo com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, o coeficiente de Gini (indicador de desigualdade) é um dos mais baixos da Europa.[18]

Etimologia

O nome "Bielorrússia" deriva da expressão Rússia Branca ("Branco-Rus"). Existem diversas teorias sobre a origem do nome "Rus Branco".[19] O nome descrevia a área da Europa Oriental coberta por neve e povoada por povos eslavos, em oposição à Rutênia Negra, controlada pelos lituanos. Outra possível origem para o nome poderia ser a vestimenta branca utilizada no período pela população eslava.[19][20] Outras hipóteses para o nome diriam respeito às terras meridionais do país (Polatsk, Vitsiebsk and Mahilyow), que não haviam sido conquistadas pelos tártaros; antes de 1267, toda a terra que não havia sido conquistada pelos mongóis era considerada parte do "Rus Branco",[19] dado que bel ou biel também significaria "livre", num período em que a maior parte da Rússia se encontrava sob o jugo dos tártaros.[21]

O nome apareceu pela primeira vez na literatura medieval alemã e latina. Nas crônicas escritas por Jan de Czarnków, mencionava-se que o grão-duque lituano Jogaila e sua mãe teriam sido encarcerados, em 1381, em "Albae Russiae, Poloczk dicto".[22] O termo latino "Alba Russia" foi utilizado novamente pelo Papa Pio VI, ao estabelecer ali uma Sociedade Jesuíta em 1783. Sua bula papal decretava: "Approbo Societatem Jesu in Alba Russia degentem, approbo, approbo."[23] Historicamente, o país foi designado em idiomas ocidentais como "Rutênia Branca"; o primeiro uso de "Rússia Branca" para se referir à Bielorrússia se deu no fim do século XVI, pelo inglês sir Jerome Horsey.[24] Durante o século XVII, os czares russos utilizaram o termo "Rus' Branco" para descrever as terras conquistadas do Grão-Ducado da Lituânia.[25]

A Bielorrússia passou a receber seu nome atual (em russo: Белоруссия) no período do Império Russo; o czar russo costumava ser designado o "Czar de Todas as Rússias" - referindo-se à Grande, à Pequena e à Branca. Na época, a Bielorrússia era vista como parte da nação russa, e o idioma bielorrusso era considerado um dialeto do russo.[26] Após a Revolução Bolchevique de 1917, o termo Rússia Branca passou a causar alguma confusão, pois também era o nome da força militar que se opunha aos bolcheviques "vermelhos".[27] Durante o período da República Socialista Soviética Bielorrussa, o termo Bielorrússia foi adotado como parte de uma consciência nacional. Na Bielorrússia Ocidental, sob o domínio polaco, o termo foi utilizado com frequência para se referir às regiões de Bialystok e Grodno, durante o período entre-guerras.[28]

O termo "Belorussia" (seus nomes na maioria dos idiomas vêm da forma russa, "Byelorussia") foi utilizado oficialmente apenas até 1991, quando o Soviete Supremo da RSSB decretou que a nova república independente deveria se chamar "Belarus" (Беларусь), em russo e em todas as transcrições do nome para outros idiomas. A mudança supostamente visava refletir adequadamente a forma bielorrussa do nome, e o período de transição durou até 1993.[29] Forças conservadoras da recém-independente república, no entanto, não apoiaram a mudança de nome e se opuseram à sua inclusão no esboço feito em 1991 da Constituição da Bielorrússia.[30]

Desde a independência do país, com o fim da União Soviética, o governo bielorrusso oficializou este pedido para que o endônimo Belarus fosse usado em todas as línguas para se referir ao país. Em determinados idiomas, como o inglês, o pedido foi bem aceito,[31] mas a maioria das outras línguas europeias mantiveram seus exônimos próprios, como o grego o Λευκορωσία, o alemão Weißrußland, o dinamarquês Hviderusland, o sueco Vitryssland, o holandês Wit-Rusland, o islandês Hvíta-Rússland, todos traduzidos literalmente como Rússia Branca (que também era o nome historicamente utilizado no português até a década de 1990). O francês mantém o nome Biélorussie.

O mesmo que se deu com o inglês aconteceu, até certo ponto, com o russo (embora o nome tradicional ainda exista naquele idioma); do mesmo modo, o adjetivo "Belorussian" ou "Byelorussian" foi substituído, em inglês, por "Belarusian", enquanto o russo não tenha desenvolvido uma nova versão do adjetivo ("bielaruski").[31] A intelligentsia bielorrussa no período de Stalin tentou alterar o nome do país para "Krivia", para tentar eliminar esta suposta ligação com a Rússia;[32] alguns nacionalistas também têm objeção ao nome por este mesmo motivo.[33][34] Diversos jornais populares publicados localmente, no entanto, ainda conservam o nome antigo do país em russo nos seus nomes, como por exemplo Komsomolskaya Pravda v Byelorussii, edição local de um popular tabloide russo. Partidários da união do país com a Rússia também continuam a utilizar a forma anterior.[34] Oficialmente, o nome completo do país é "República da Bielorrússia" (Рэспубліка Беларусь, Республика Беларусь, Loudspeaker.svg? Respublika Belarus").[29][35]