Baruch Espinoza

Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde agosto de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: '"Espinoza" e "Espinosa" redirecionam para este artigo. Para outros significados, veja Espinosa (desambiguação).
Baruch de Espinosa
ברוך שפינוזה
Nascimento24 de novembro de 1632
Amsterdã, Países Baixos
Morte21 de fevereiro de 1677 (44 anos)
Haia, Países Baixos
Nacionalidadeholandesa
Ocupaçãoartesão, filósofo
Influências
Influenciados
Magnum opusÉtica
Tractatus Theologico-Politicus
Escola/tradiçãoPanteísmo naturalista, espinozismo (fundador), racionalismo, eudemonismo, cartesianismo
Principais interessesÉtica, metafísica, teoria do conhecimento, teologia, Lógica
Ideias notáveisconatus, interpretação histórico-critica da Bíblia
Assinatura
Spinoza's signature (1671).svg

Baruch de Espinoza[1] (nascido Benedito Espinoza; 24 de novembro de 1632, Amsterdã21 de fevereiro de 1677, Haia) foi um dos grandes racionalistas e filósofos do século XVII dentro da chamada Filosofia Moderna, juntamente a René Descartes e Gottfried Leibniz. Nasceu em Amsterdã, nos Países Baixos, no seio de uma família judaica portuguesa e é considerado o fundador do criticismo bíblico moderno.

Prenomes

Chamado pelos pais de Bento, chamou-se "Baruch" enquanto que judeu nascido e vivendo em Amsterdão. Finalmente, utilizou Benedictus para assinar a sua Ethica, depois do chérem, em seu nome.[2]