Amadeu I de Espanha

Amadeu I
Rei da Espanha
Reinado16 de novembro de 1870
a 11 de fevereiro de 1873
Antecessor(a)Isabel II
Sucessor(a)Monarquia abolida
 
EsposasMaria Vitória dal Pozzo
Maria Letícia Bonaparte
DescendênciaEmanuel Felisberto, Duque de Aosta
Vítor Emanuel, Conde de Turim
Luís Amadeu, Duque dos Abruzos
Humberto, Conde de Salemi
CasaSaboia
Nome completo
Amadeu Fernando Maria
Nascimento30 de maio de 1845
 Palácio Real de Turim, Turim, Sardenha
Morte18 de janeiro de 1890 (44 anos)
 Palácio Real de Turim, Turim, Itália
EnterroBasílica de Superga, Turim, Itália
PaiVítor Emanuel II da Itália
MãeAdelaide da Áustria
ReligiãoCatolicismo

Amadeu I (Turim, 30 de maio de 1845 – Turim, 18 de janeiro de 1890) foi o Rei da Espanha de sua eleição em 1870 até sua abdicação em 1873. Era o segundo filho do rei Vítor Emanuel II da Itália e sua esposa Adelaide da Áustria, sendo conhecido durante quase toda sua vida como Duque de Aosta.

Ele foi eleito o monarca espanhol pelas Cortes Gerais depois da deposição de Isabel II. Seu reinado foi marcado pelo crescimento do sentimento republicano, rebeliões carlistas no norte e o movimento de independência cubana. Ele voltou para a Itália depois de abdicar, com a Primeira República Espanhola sendo declarada como resultado.

Início de vida

Pertencente a Casa de Saboia, o príncipe Amadeu nasceu em Turim, Sardenha. Ele foi o segundo filho de Vítor Emmanuel II, rei da Sardenha e, mais tarde, o primeiro rei da Itália) e da arquiduquesa Maria Adelaide da Áustria, esta pertencente a Casa de Habsburgo.

Em 1867, Amedeu quis se casar com Maria Vitória del Pozzo, princesa del Pozzo della Cisterna (9 de agosto de 1847 - 8 de novembro de 1876). O rei Vítor opôs-se inicialmente à correspondência de ambos com o fundamento de que a família de Maria Vitória era de insuficiente classificação, bem como a sua esperança do seu filho Amadeu casar com uma princesa alemã da Casa von Hohenzollern.[1]

Amadeu I

Apesar do seu título nobiliárquico de princesa, Maria Vitória não pertencia a nenhuma nobreza soberana ou que fosse a piemontesa, somente a nobreza belga e italiana. Ela foi, no entanto, a única herdeira da imensa fortuna do pai,[2] que herdou posteriormente dos duques de Aosta, obtendo assim, independentemente da sua riqueza dinástica e de licenças dos reis da Itália. Seu pai era o então príncipe Della Cisterna e a sua mãe, Luísa, condessa de Mérode, era neta do príncipe de Rubempré e da princesa de Grimberghe, e pertencia à uma tradicional família nobre da Bélgica: os van Mérode, .

Amadeu e Maria Vitória tiveram três filhos:

Ainda em março de 1870, a duquesa encontrou-se a apelar ao rei Vítor Manuel de que o seu filho Amadeu tinha encontros extra-conjugais. Mas o rei respondeu-lhe que, embora a sua compreensão sentimental, ele considerou que ela não tinha direito de ditar o comportamento do seu marido e que ela terá sido ciumenta.[3]