África do Sul
English: South Africa


República da África do Sul
Bandeira da África do Sul adotada após o fim do apartheid
Brasão de armas da África do Sul
BandeiraBrasão de armas
Lema: !ke e: ǀxarra ǁke (ǀXam)
Verskillende mense verenig (Africâner)
Português: Diversos povos se unem.
Hino nacional: National anthem of South Africa
Gentílico: sul-africano(a)
austro-africano(a)[1]

Localização da África do Sul

Localização da África do Sul.
CapitalPretória (executiva)
Cidade do Cabo (legislativa)
Bloemfontein (judiciária)
25°44′42″S 28°11′25″E
Cidade mais populosaJoanesburgo
Língua oficial
GovernoRepública parlamentarista unitária de partido dominante
 - PresidenteCyril Ramaphosa
 - Vice-presidenteDavid Mabuza
 - Presidente do Conselho Nacional de ProvínciasM. J. Mahlangu
 - Presidente da Assembleia NacionalMax Sisulu
 - Presidente do Tribunal ConstitucionalMogoeng Mogoeng
Independênciado Reino Unido 
 - União Sul-Africana31 de Maio de 1910 
 - Estatuto de Westminster11 de Dezembro de 1931 
 - República31 de Maio de 1961 
Área 
 - Total1 221 037 km² (25.º)
 FronteiraNamíbia, Botsuana, Zimbábue, Moçambique, Suazilândia e Lesoto
População 
 - Estimativa para 201857 725 600 [2] hab. (25.º)
 - Censo 201151 770 560 [3] hab. 
 - Densidade42,4 hab./km² (169.º)
PIB (base PPC)Estimativa de 2018
 - TotalUS$ 794,7 bilhões[4] (30.º)
 - Per capitaUS$ 13 840[4] (90.º)
PIB (nominal)Estimativa de 2014
 - TotalUS$ 370,8 bilhões*[4] (35.º)
 - Per capitaUS$ 6 459[4] (88.º)
IDH (2017)0,699 (113.º) – médio[5]
Gini (2014)63,0[6]
MoedaRand (ZAR)
Fuso horárioTempo do Sul da África (UTC+2)
Cód. ISOZA
Cód. Internet.za
Cód. telef.+27
Website governamentalhttp://www.gov.za/

Mapa da África do Sul

África do Sul, oficialmente República da África do Sul, é um país localizado no extremo sul da África, entre os oceanos Atlântico e Índico,[7] com 2 798 quilômetros de litoral.[8][9] É limitado pela Namíbia, Botsuana e Zimbábue ao norte; Moçambique e Suazilândia a leste; e com o Lesoto, um enclave totalmente rodeado pelo território sul-africano.[10] O país é conhecido por sua biodiversidade e pela grande variedade de culturas, idiomas e crenças religiosas. A Constituição reconhece 11 línguas oficiais.[7] Duas dessas línguas são de origem europeia: o africâner, uma língua que se originou principalmente a partir do neerlandês e que é falado pela maioria dos brancos e mestiços sul-africanos, e o inglês sul-africano, que é a língua mais falada na vida pública oficial e comercial, mas é apenas o quinto idioma mais falado em casa.[7]

Considerado uma economia de renda média alta pelo Banco Mundial, o país é considerado um mercado emergente. A economia sul-africana é a segunda maior do continente (atrás apenas da Nigéria) e a 25ª maior do mundo (PPC). Multiétnico, o país possui as maiores comunidades de europeus, indianos e mestiços da África. Apesar de 70% da população sul-africana ser composta por negros,[11] este grupo é bastante diversificado e abrange várias etnias que falam línguas bantas, um dos idiomas que têm estatuto oficial.[7] No entanto, cerca de um quarto da população está desempregada[12] e vive com menos de 1,25 dólar por dia.[13]

A África do Sul é uma democracia constitucional, na forma de uma república parlamentar; ao contrário da maioria das repúblicas parlamentares, os cargos de chefe de Estado e chefe de governo são mesclados em um presidente dependente do parlamento. É um dos poucos países africanos que nunca passaram por um golpe de Estado ou entraram em uma guerra civil depois do processo de descolonização, além de ter eleições regulares sendo realizadas por quase um século. A grande maioria dos negros sul-africanos, no entanto, foram completamente emancipados apenas depois de 1994, após o fim do regime do apartheid. Durante o século XX, a maioria negra lutou para recuperar os seus direitos, que foram suprimidos durante décadas pela minoria branca, dominante política e economicamente, uma luta que teve um grande papel na história e recente do país.

O país é um dos membros fundadores da União Africana, da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Nova Parceria para o Desenvolvimento da África (NEPAD), além de ser membro do Tratado da Antártida, do Grupo dos 77, da Zona de Paz e Cooperação do Atlântico Sul, da União Aduaneira da África Austral, da Organização Mundial do Comércio (OMC), do Fundo Monetário Internacional (FMI), do G20, do G8+5 e é uma das nações BRICS. Tem ainda a melhor infraestrutura e a segunda maior economia do continente.[14][15]

Nome

Mzansi, derivado do Xhosa substantivo umzantsi que significa "sul", é um nome coloquial para a África do Sul,[16][17] enquanto alguns partidos políticos pan-africanistas preferem o termo "Azania".[18]